• edilsondamas

Hidroponia reduz consumo de água e aumenta produtividade

Novidade: SEICHO é o substrato de espuma fenólica que garante mais produtividade e plantas com mais qualidade

Com a expansão desenfreada das cidades e as mudanças climáticas que afetam o regime de chuvas, o cultivo protegido se transformou em uma opção para muitos agricultores. A hidroponia é uma das técnicas que cresce no Brasil nas últimas duas décadas. Nas prateleiras dos supermercados e nas feiras livres, a cada dia são comercializados mais alimentos cultivados nesse sistema. A Mizu Espuma Floral lançou recentemente a linha SEICHO, que é um substrato de espuma fenólica para hidroponia.


O cultivo de plantas no sistema de hidroponia tem como vantagens a redução do consumo de água, sanidade e padrão de qualidade, e maior produtividade. O engenheiro agrônomo Antonio Bliska Júnior, especialista em cultivo protegido, diz que o sistema também traz desafios como a necessidade de atualização e incorporação constante de novas tecnologias, e a comunicação adequada com a cadeia de valor, principalmente o consumidor final.


O especialista aponta que no Brasil são produzidas folhosas (como alface, rúcula e agrião) e hortaliças de fruto (como tomate, pepino, melão e pimentão) pelo meio hidropônico. Ele destaca ainda que, praticamente, todas as flores de vasos e uma boa parte das flores de corte também são produzidas hoje no cultivo sem solo ou hidroponia.


Bliska Júnior afirma que o sucesso do cultivo no sistema de hidroponia depende de planejamento para elaborar um bom projeto técnico e financeiro. Também é necessário buscar constantemente conhecimento técnico e ter disciplina para executar com rigor todos os processos produtivos e todas as etapas pré-estabelecidas.


O engenheiro agrônomo afirma que a adoção de sistemas produtivos com uso elevado de tecnologias carece de políticas públicas no Brasil que incentivem pesquisa e a implantação de forma mais contundente. Ele diz que, na década de 1990, a China recebeu apoio da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) para a adoção dessas tecnologias, quando o Brasil já possuía uma base de empresários rurais atuando com o cultivo sem solo.


Bliska Júnior observa que hoje estamos, ao menos, 10 anos atrás da China, quando se avalia a produção intensiva de hortaliças. O especialista diz que o Ministério da Agricultura e Abastecimento (Mapa) e as secretarias estaduais de Agricultura precisam dar atenção, com urgência, às cadeias produtivas fora do circuito de grãos e carnes. Ele ressalta que o potencial do Brasil é imenso em outras cadeias produtivas do campo.



Substrato


A Mizu lançou recentemente a linha SEICHO para atender o mercado de agronegócio. Bliska Júnior é um dos avaliadores técnicos do produto e diz que o retorno dos agricultores que usaram o substrato da Mizu foi positivo. Os empresários rurais destacaram que a linha é uma nova opção no mercado de produtos agrícolas e segmento de cultivo hidropônico.


O engenheiro agrônomo explica que o substrato de espuma fenólica desempenha uma função fundamental no cultivo por meio da hidroponia porque o processo produtivo que não se inicia com mudas de qualidade está fadado ao fracasso. Segundo Bliska Júnior, a espuma fenólica deve proporcionar uma rápida e uniforme germinação, enraizamento adequado e crescimento vigoroso das plântulas, evitando o estresse na etapa do transplante.


O especialista explica que um substrato de qualidade deve ter porosidade com capacidade de retenção de água e aeração equilibradas. A densidade tem que permitir fácil enraizamento. A espuma tem que ter uniformidade e constância de composição química e física que permita a repetibilidade dos resultados ao longo dos processos produtivos.


Ele aconselha os agricultores que na hora de escolher o substrato de espuma fenólica faça uma inspeção visual da homogeneidade do produto e também acompanhe diariamente o desempenho da germinação no viveiro.



De onde vem a hidroponia?


Foi nos Estados Unidos, nos anos de 1930, que surgiu o termo hidroponia. O nome designava a técnica de cultivo comercial sem solo. O desenvolvimento do processo de produção de espécies vegetais no sistema hidropônico teve a participação de pesquisadores do mundo todo. No Brasil, a técnica mais utilizada é a lâmina de solução de nutriente (NTF).


Fonte de dados: Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)




Fotos: Valéria Abras - @valabrasfoto


99 visualizações

PEDIDO DE ORÇAMENTO

(19) 99519-4413

arrow&v